Natasha Belchior

Das manhãs

Antes de começar nos campeonatos, eu só era uma criança que perseguia balões. Perto de casa começava a passar sempre balões, não entendia que era um campeonato, as vezes era durante ou nos finais de semana.

Nesses dias às 7 da manhã eu acordava minha família me exaustando/gritando: É BALÃO! É BALÃO, ACORDEM TEM UM BALÃO!

E ouvia o maçarico!

Era tudo pra acordar assustado, o maçarico do balão, todos os cães desesperados latindo e uma criança gritando (No caso EU).

Minha mãe sempre foi mais paciente e cuidadosa, ela me chamava e abria a janela do quarto e nós assistíamos na cama com meu pai ainda tentando dormir, o balão passar bem perto…

Confesso que muita coisa não mudou, bom… eu não acordo mais meus pais e o resto da minha família, ao invés de ficar de olho da janela, agora vou direto pro telhado.Das manhãsComo diz no mapa acima, o Lago azul, um dos lugares mais óbvios para alvos, saídas ou pousos de Rio Claro.

É uma das melhores vistas ao acordar.

O começo

O Começo
Depois de uma briga entre irmãos, meu pai me tirou de casa para “respirar’, percorremos a cidade de moto, do outro lado da cidade estava uma multidão, paramos e sentamos numa das rotatórias. Foi amor à primeira vista.

Aos meus 8 anos, nunca tinha visto algo tão grandioso, colorido e fofo. Vi meu primeiro balão de ar quente e neste dia falei pra mim mesmo: eu quero estar lá!

Com 14 anos participei do meu primeiro evento, junto aos Escoteiros do Brasil, dependendo do pai levar e trazer, algumas vezes atravessava a cidade de bicicleta, meu serviço era só ajudar a ‘guardar’ as marcas que caiam do céu das crianças que poderiam pegar, acreditem isso foi uma tarefa muito difícil, pois eu queria pegar.

Nos últimos dias do campeonato para agradecer a ajuda dos escoteiros, foi sorteado um voo…

Lembro que era um piloto do balão da CBB, era um senhor e disse:

– Quem é Natasha?

Por instantes eu não acreditei, gritava por dentro : é meu nome !! É MEU NOME! VAI GAROTA SE APRESENTA!

– Sou eu! Apresentei-me alegremente

– Vamos lá

Andamos ate perto do balão. Foi quando ele perguntou:

-Quantos anos você tem?

-15 anos

– Quem é responsável por você?

Bom como era uma atividade escoteira, o chefe era o responsável, já que sempre que temos atividade meus pais assinavam uma carta dando “ responsabilidade “ ao chefe.

Só que aí meu chefe respondeu:

– O pai dela não está aqui, então eu posso ir no lugar.

O piloto olhou pra ele :

– Ela ganhou, ela vai, se não tem autorização ela não pode voar por ser menor.

Meu coração doeu!

Mas perto de mim e vendo a situação toda estava a Gabi, ela era da organização e não acreditou no que viu e disse que me faria voar.

E nos outros anos foi melhor ainda, ela me convidou para participar dos eventos.