spot_img

Bate-papo: Paulo Branco Toledo

Foto: Arquivo pessoal
O bate-papo de hoje do BlogBalonismo é com o piloto Paulo Branco Toledo. Confira abaixo o que nós conversamos:
Sobre como entrou no esporte: Bom, eu entrei no balonismo em 1993 patrocinando um balão que participaria de um campeonato paulista em Piracicaba cujo piloto era o Alberto Brites. Eu tinha um restaurante na cidade e acabei, além de patrocinar o evento, conhecendo vários pilotos e equipes. O Alberto me chamou para voar no primeiro dia e eu sem nem mesmo saber o que era um balão de ar quente de verdade topei e fui. Confesso que não tive a melhor impressão, fiquei um pouco tenso até pela ignorância que eu tinha sobre o que ia acontecer. No segundo dia fui novamente chamado pelo piloto para voar  e ai sim começou o meu gosto pelo balonismo pois já estava mais a vontade e pude ver e curtir o voo mais tranquilo. Nesse dia dois pilotos me chamaram a atenção que foi o Rubão, que subia e descia de uma forma louca e rápida mas com muito conhecimento do que estava fazendo na busca dos melhores ventos para levá-lo ao alvo. O segundo piloto foi o Sacha Haim, que ficou pelo menos uns 30 minutos tentando entrar no alvo e foi a primeira vez que vi o que era um bom trabalho de aproximação. A partir dai fui tomado pelo vício e comecei a fazer equipe para o Alberto Brites junto com duas pessoas que como eu acabaram virando piloto também que eram o Lula (Luiz Fonseca) e o Adriano Perini. Então comecei a ajudar o piloto Jairo Fogaça que já era meu conhecido antes de eu entrar para o balonismo e foi então que comecei a pensar em me tornar um balonista.

Um ídolo no esporte: Tirei meu brevê em 2002 com a ajuda do Jairo que me emprestou tudo de equipamentos que eu precisava e de uma pessoa que foi um dos meus ídolos no balonismo, que era o Walterson Lima, um grande amigo que infelizmente já se foi mas que para mim foi fundamental no aprendizado de como voar olhando a natureza é de como se divertir muito com os balões, esse inclusive foi o maior ídolo dentre outros tais como o Chico que para mim é um dos melhores que já vi voar, o Aquilino que sempre me deu conselhos muito importantes e eu acatei porque respeito muito esse cara, o Ricardo (Free) que na minha opinião é o piloto que mais entende de equipamentos e sistema de gás do balonismo e que acabou virando meu meu sócio e parceiro na fabricação de special shapes (Aeromagic Balonismo).
Foto: Arquivo pessoal
Voo inesquecível: Já fiz muitos voos em lugares diferentes inclusive em outros países com México, EUA e Canadá, mas o voo mais inesquecível foi em Rio Claro com uma pessoa que fazia equipe para mim e que hoje fico feliz de ver que é um grande piloto. Estou falando do Rodrigo Barrote, nesse dia após ter sido cancelado o voo do festival que eu participava resolvi voar mesmo assim e acabei voando por 2 horas acima das nuvens sem saber onde estávamos e no final achamos um buraco e pousamos em segurança e muito adrenado e felizes pois foi realmente o voo mais lindo que já fiz, nunca senti tanta paz.
Projetos em andamento: Em 2004 comecei uma parceria com a Aeromagic do Ricardo (Free) que dura até hoje. Nós fabricamos special shapes que participam de  festivais em vários países e depois são vendidos. Em 12 anos juntos já fizemos varias formas entre elas urso, monstro, macaco, cachorro entre outros. Hoje temos 2 formas que são o Palhaço e o Mago e estamos na fase final de projeto para começar a fabricar a Girafa que tenho certeza: vai fazer muito sucesso.
Foto: Arquivo pessoal
Melhor campeonato que já participou: Já participei de vários campeonatos mas nunca tive uma boa classificação, acho que não sou muito competitivo e não gosto de voar olhando para GPS ou altímetro, gosto de voar olhando a natureza como me foi ensinado pelo mestre Walterson.
Projetos futuros:  Hoje o balonismo para mim virou um hobby no qual me divirto muito e tenho  o privilégio de poder viajar com meus filhos e com os amigos por lugares muito legais e de voar com balões diferentes em tamanho e formas fazendo com que o prazer de voar sempre fique a toda. Para o futuro espero poder continuar com o projeto dos special shapes e quem sabe voar por países e cidades que eu ainda não conheço.
Foto: Arquivo pessoal
Considerações finais: Nesses 20 e poucos anos de balonismo vi muita coisa legal, dei muita risada com os amigos, conheci gente que virou amigo, perdi amigos como o Wal e como o AC que deixaram muita saudade. Conheci lugares que não teria a chance se não fosse pelo balão, vi muitas pessoas virarem pilotos por merecimento vi outras que estão tentando há muito tempo e não conseguem. Eu sinceramente espero que algumas coisas mudem e que os balonistas sejam mais unidos até para fazer crescer e expandir esse esporte que está dentro do coração da gente.

NOTíCIAS RELACIONADAS

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhar Notícia

ULTIMAS NOTÍCIAS

%d blogueiros gostam disto: