Murilo Hoffmann, de Torres, vence a Prova da Chave no 32º Festival Internacional de Balonismo

Considerada uma das provas mais emocionantes e talvez a mais difícil do balonismo, a Prova da Chave foi o grande espetáculo da manhã deste domingo, 24 de abril, dia do encerramento do 32º Festival Internacional do Balonismo. O piloto torrense Murilo Hoffmann, Campeão do 31º Festival, em 2019, ganhou o carro Chevrolet Onix oferecido pela Pinho Veículos.

O tempo da prova esgotava às 9h, mas bem antes disto, o piloto do balão da Monte Bello Construtora já tinha pego a chave. Pelo regulamento, é permitida uma só decolagem e o piloto deve segurar a chave, não pode deixar cair o instrumento. Foi muita emoção no ar. A torcida era grande. Pelos entendidos na área, esta prova é o ápice do balonismo.

Já sem a chave no mastro, retirada pelo piloto Murilo, outros balões também se aproximaram do local para fazerem a sua marca, alvo determinado pela Prova Fly-In. Ainda ocorreu a prova Caça à Raposa que levou os balões em direção à beira-mar da Praia Itapeva.

Outro espetáculo foi dado pelo conceituado piloto paulista, Octacampeão, Sacha Haim. Ao se aproximar do alvo para deixar sua marca, pegou um pedaço do mastro, na ausência da chave.

A Prova da Chave atraiu o público e entre tantos interessados, um em especial, o piloto paulista Leonel Brites. Leonel foi o primeiro balonista a vencer a Prova da Chave do Festival Internacional de Balonismo de Torres, em 1992. Ele também foi o Campeão daquela edição. Em 1989 ele foi Campeão do Campeonato Brasileiro de Balonismo, disputado na cidade de Americana, em São Paulo. Neste domingo, ele foi recepcionado pelo secretário municipal de Cultura e Esportes, Mauri Rodrigues, e pelo locutor oficial do Festival, Niltinho, que em 1992 acompanhou a façanha de Brites.