Proprietários rurais também se preparam para o Mundial de Balonismo

0
512
A partir de quinta-feira, 17, e até 27 de Julho, quando balões e pilotos de vários países e continentes estarão cruzando o céu de Rio Claro, como protagonistas do 21º Campeonato Mundial de Balonismo, em terra firme centenas de produtores rurais do município e da região ficarão atentos: suas propriedades estarão sendo utilizadas como áreas de pouso destas imensas e coloridas engenhocas, movidas a ar quente produzido pela queima de gás propano.
Há semanas, a Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Silvicultura, que relata a existência de aproximadamente 1.400 propriedades rurais no município, vem orientando os produtores sobre como agir para receber bem os competidores que eventualmente pousarem em suas propriedades. “Em grande parte, os pilotos são estrangeiros e tenderão a se comunicar no idioma oficial do evento, que é o inglês”, explica o secretário Carlos Alberto Teixeira De Lucca. 
Segundo ele, no entanto, a linguagem gestual e a expressão facial devem facilitar uma comunicação básica e acredita que a barreira do idioma não será problema para os pilotos e seus anfitriões da zona rural. “O fundamental é se mostrar cordial, acolhedor e receptivo, orientando com gestos e sinais os pilotos e suas equipes de resgate sobre como deixar o local do pouso, preferencialmente pela entrada principal da propriedade”, afirma. “Já tivemos a oportunidade de repassar essas informações e orientações a diversos produtores rurais do município e temos a certeza de que todos serão hospitaleiros, contribuindo para o sucesso do campeonato, que será o primeiro mundial da modalidade disputado na América Latina”, acrescenta.
Além disso, a organização do mundial prevê a distribuição de uma carta, endereçada aos produtores rurais da região, que pede autorização para o pouso do balão nas propriedades, inclusive informando que em algumas delas serão colocados alvos que os pilotos devem atingir, obrigatoriamente. A carta relata explica, também, que entre o pouso e o resgate do balão podem transcorrer até duas horas, solicitando, para tanto, a compreensão dos produtores rurais.
Para contribuir com a segurança e êxito da competição, a Secretaria de Agricultura também utilizou mapas do Google e listou pontos de pouso e locais de sobrevôos em baixa altitude que devem ser evitados pelos pilotos. Neste sentido, foram marcados dezenas de locais, como pedreiras que costumam detonar explosivos, três rumos de linhões de transmissão de energia e diversas outras áreas que podem representar algum risco para quem voa e quem está em terra.
“Temos convicção de que será um grande espetáculo e nossos produtores rurais terão papel importante a cumprir para o sucesso deste evento”, assinala De Lucca. “Estamos à disposição dos produtores, na sede da secretaria, para fornecer outras informações e orientações necessárias”, finaliza. 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here