0
527
ENTREVISTA COM ADEMIR BROLACCI
Liberdade é voar em um balão!



Publicada no site LivrEsportes, em 13/03/2010

Foto: Divulgação/BlogBalonismo
O balonista de Campinas, Ademir Brolacci sempre foi muito apaixonado por balões. Cresceu praticando em papel de seda até o momento em que soltar balões de papel passou a ser contravenção. Consciente, deixou a atividade e em meados dos anos 90, através do amigo Chico (Antonio Carlos Paulo), ingressou no balonismo. Interessado, procurou um construtor e instrutor de vôo e propôs uma permuta: um automóvel Mercedes Bens em troca de equipamento completo mais um curso com vinte horas de vôo.
Já “profissional” participou do Sul Brasileiro na cidade de Campo Mourão, Paraná. Era o ano de 1994, seu primeiro campeonato, onde enfrentou trinta pilotos experientes, inclusive uruguaios e argentinos. Conseguiu a décima posição e a realização de uma prova muito difícil que até aquele momento só tinha sido realizada uma vez no País, pelo balonista Leonel Brites: prova do mastro. Nela o piloto tem que decolar de uma distancia mínima de três quilômetros e apanhar na ponta de um mastro um objeto que corresponde à chave de um veículo. Caso consiga, esse será seu prêmio.
A partir de então não deu moleza para os adversários. Foi campeão em Torres, Rio Grande do Sul, em 1995 e em Presidente Prudente, São Paulo, no ano de 1997, vice em Torres em 1999, novamente vice em Florianópolis, Santa Catarina, em 2000. Chegou ao tricampeonato em Pindamonhangaba, São Paulo, em 2002 e levantou o tetra em 2006 na cidade de São Lourenço, em Minas Gerais. Em 2008, levantou o 4º lugar no Festival Internacional de Torres, com apoio dos patrocinadores Adamatti, Incepa e Celite e o 3º lugar no Festival Internacional de Santa Maria, Rio Grande do Sul, patrocinado pelo grupo ROCA e Walter Beltrame.
Quando começou a voar pela região de Campinas foi procurado por algumas empresas para usar o balão como uma mídia alternativa, daí nasceu à idéia de criar a Campinas Balonismo (www.campinasbalonismo.com.br). Especializou-se, então, na divulgação de marcas e entretenimento. Atuando em todo o Brasil a empresa tem até políticos entre seus clientes. O atual prefeito de Campinas, interior de São Paulo, Dr. Hélio, usou o balão em sua campanha eleitoral.
Embora acredite que o esporte é para poucos, devido ao alto investimento, Brolacci aconselha a emoção de voar em um balão alugado. Segundo ele, uma experiência que leva muita gente às lágrimas. Brolacci falou com a LivrEsportes sobre balonismo e o prazer de ganhar os céus.
LivEsportes: Como é essa a sensação de ficar mais próximo do céu?
Ademir Brolacci: Sensação de liberdade.
LivrEsportes: O balonismo está crescendo no País?
Ademir Brolacci: Lentamente.
LivrEsportes: É um esporte caro?
Ademir Brolacci: Sim, um equipamento completo hoje não sai por menos R$ 80.000,00. Sem colocar na conta a equipe e um veículo de apoio.
LivrEsportes: É uma atividade profissional ou ainda um hobby?
Ademir Brolacci: Profissional e também um hobby. Na verdade é uma paixão.
LivrEsportes: Você participou e venceu vários campeonatos, como avalia o nível atual das competições?
Ademir Brolacci: Alto. Temos pilotos fantásticos. Hoje com o avanço e a ajuda da tecnologia o nível de competição tem se elevado muito. Provas que há dez anos não tinham possibilidades de serem aplicadas, devido à incapacidade de como apurar os melhores resultados, podem acontecer hoje. Com a ajuda de GPS rastreadores são aplicados até alvos virtuais, baseados em distância altitude e coordenadas.
LivrEsportes: Está menos focado nos campeonatos esse ano?
Ademir Brolacci: Sim, me afastei das competições e estou focado em vôos turísticos.
LivrEsportes: Diante dos gastos necessários, vale a pena participar de campeonatos?
Ademir Brolacci: Se não tiver um bom patrocinador, financeiramente não. Só se for pela paixão.

LivrEsportes: Quais os planos para o ano?
Ademir Brolacci: Quero construir um balão para 10 passageiros.
LivrEsportes: As pessoas se interessam pelo passeio, qual a principal reação de quem sobe pela primeira vez?
Ademir Brolacci: É muito gratificante participar da emoção de quem voa pela primeira vez, tem gente que choram de emoção. Para muitos é a realização de um sonho. Imagine você flutuando sobre belas paisagens, rios e matas se depender de velocidade ou de motor. As pessoas que têm voado na região ficam encantadas, temos áreas de preservação com muitos animais silvestres, matas e rios.
LivrEsportes: Quanto fica um passeio de balão?
Ademir Brolacci: A Campinas Balonismo tem uma parceria com o Hotel Fazenda Solar das Andorinhas, em Campinas/SP onde realizamos vôos turísticos exclusivos, ou em grupos. O “cardápio” pode incluir champanhe café da manhã e um lindo buquê (caso de aniversariantes, noivados, etc.) com custo R$ 1.300,00. Um passeio em grupos de quatro ou seis pessoas fica em torno de R$ 300,00 por passageiro.
Bons Ventos!!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here